Programa – Regional Scrum Gathering Rio 2015

Baixe aqui a programação de quinta em PDF.

Baixe aqui a programação de sexta em PDF.

Baixe aqui a programação de sábado em PDF.

Quinta-feira 13/08

Início: 9:20

Keynote: As grandes falácias da Agilidade

GARRIDO, Marcos; DE TOLEDO, Rodrigo; CARDOSO DE RESENDE, Carlos Felippe; SABBAGH, Rafael – Knowledge21

Quais são as maiores falácias da Agilidade? Nesta sessão vamos discutir os mitos mais comuns sobre Agilidade e resolver de uma vez por todas os mal entendidos que se tempos em tempos são espalhados por aí!

 

Início: 10:40

OKRs – Definindo Metas como no Silicon Valley (Angra A)

CAEIRO, Alberto – Módulo

Caso Módulo: Experiências, Lições Aprendidas e Próximos Passos.

Como a Modulo vem aprendendo e usando o framework de OKR, vastamente popularizado por diversas empresas de tecnologias do Vale do Silício como Google, Zynga, Linkedin, etc para alinhar e atingir seus objetivos de tecnologia.

Só tem maluco em time Scrum! Entenda de Perfis Psicológicos, Valores e Motivadores e acelere seu Team Building (Angra B)

AMORIM, Alexandre – FPF tech

As pessoas são diferentes, isso todo mundo sabe. Mas, será que sabemos quais são os tipos de pessoas do nosso time? O que as motivam? O que as incomodam? Como reagem em grupo? Como reagem sozinhas? Como abordá-las para despertar o seu melhor engajamento?
Nesta seção serão apresentados alguns conceitos/práticas/dinâmicas para acelerar o processo de team building, usando o compartilhamento de perfis, valores, motivadores dentro de um time. Além disso, será apresentado um caso prático em um Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento em Manaus.

Conheça nossas lições aprendidas e veja se fazem sentido pra você!

eXtreme eXperiment, 8 versões do sistema em 2 dias para validar ideias (Angra C)

BRUZZI, Guilherme – Globo.com

Explicarei conceitos básicos de Lean Startup, validação de ideias e uma forma inovadora de percorrer o ciclo construir-medir-aprender o mais rápido possível chamada eXtreme eXperiment, onde várias versões de um mesmo produto são postas em teste em um mesmo dia.

Da Integração Contínua à Entrega Contínua usando somente ferramentas open-source (Sala Digitho Brasil)

DUARTE PAIVA, Raphael – UFRJ

Muitas empresas já possuem um robô de Integração Contínua (RIC) configurado. Através de um Coding Dojo, o objetivo deste workshop é que modifiquemos um RIC (Jenkins) que já estará funcional para que o mesmo se transforme num ambiente de Entrega Contínua, usando somente ferramentas open-source e customizadas de acordo com a necessidade do projeto ou da empresa.

Início: 11:40

Futebol combina com Agilidade (Angra A)

LANNES, Maximiliano – Grupo RBS

Criar um ecossistema a fim de distribuir conteúdo de futebol utilizando diversas plataformas digitais, esse foi o desafio. Como a agilidade nos ajudou a trilhar esse caminho? E como reagir, rápido, a partir dos feedbacks dos nossos usuários.

Análise de Negócios – Papel ou Competência? (Angra B)

NEVES, Marcelo – Anelox

Você já reparou que a análise de negócios tem passado por uma grande transformação nos últimos anos? Da captura de requisitos à determinação do que é e como entregar valor, percebemos que mais do que um papel a ser exercido por um membro do time, a análise de negócios tem se mostrado uma competência altamente desejada. Nesta palestra iremos discutir porque a competência em análise de negócios tem se tornado uma tendência de mercado e quem realmente na prática faz análise de negócios.

Os 5 mitos do empowerment: quais são e como se livrar deles (Angra C)

GARRIDO, Marcos –Knowledge21

Que empowerment é importante todos nós sabemos. Mas no dia a dia, por que é tão difícil dar autonomia aos times? O que falta?

Início: 14:00

Estimar é crime? (Angra A)

RIBEIRO, Juliano, WALTER, Marcelo – Objective Solutions


Por que estimamos? Fazemos porque vemos sentido em fazê-lo ou fazemos porque alguém nos disse para fazer? Nessa palestra vamos ver os dois lados da moeda, por que estimar e por que não estimar, ambos com suas vantagens e desvantagens. Vamos inicialmente procurar em todas as práticas ágeis e até mesmo no manifesto onde disseram que seria mandatório estimar os itens do seu backlog. Vamos falar de algumas práticas de estimativa e como cada uma delas vai influenciar no seu modo de trabalho. Mostrarei as vantagens em sim, envolver o time em se comprometer com as estimativas e as desvantagens, mostrando o que perdemos/ganhamos quando liberamos o time dessa responsabilidade.

Como fazer um Portal de 25 milhões de usuários em 3 semanas na Administração Pública utilizando SCRUM? (Angra B)

DIEB, Thiago – Empresa Brasil de Comunicação S/A – EBC

Apresentação dos principais fatores de como foi possível aplicar o Scrum na Administração Publica e transformar um projeto de total incerteza em um produto realmente de sucesso em somente 3 semanas .

DevOps é uma prática, cultura ou um cargo? (Angra C)

CARDOSO DE RESENDE, Carlos Felippe – Knowledge21

Um problema é recorrente em diversas empresas: A TI ser a maior barreira para o setor de negócios poder colocar algo em produção. Para endereçar este problema, vamos discutir nesta palestra os formatos de solução que as empresas tem dado no que tange ao termo DevOps, mostrando a importância da cultura DevOps.

Feedback: a comunicação em favor da construção de um time (Sala Digitho Brasil)

LIMA DE CAMPOS, Ester; NASCIMENTO AGUAS, Paula

Grande parte dos problemas de uma equipe pode estar diretamente relacionada à forma como a comunicação acontece entre as pessoas. O feedback a favor do processo de construção do time permite alinhar expectativas, além de ajudar seus membros a desenvolverem competências e o relacionamento entre si.

Nessa palestra vamos falar não apenas de técnicas de comunicação/feedback, mas também da relação delas com cada etapa do processo do modelo de Tuckman (Forming, Storming, Norming, Performing) e como elas podem ajudar nessa difícil tarefa que é construir um time.

 

 

Início: 15:00

Agile: o poder da i(n)teracção (Angra A)

Dr. GOMES, Nuno Rafael; Dr. TEIXEIRA, Bruno – www.xekin.org

Nesta sessão aceitamos o desafio de vos apresentar uma visão refrescante através da concretização de dois dos mais poderosos conceitos no mundo Ágil: Iteração e Interação.

Utilizando o Docker para um ambiente de múltiplos processos, pode isso? (Angra B)

MARTINS LOPES JUNIOR, Wilson Ricardo – Dextra Sistemas, MELO PIRES, Marina – Horizonte Conteúdos/Globosat

Nessa sessão mostraremos como estamos utilizando o Docker e receitas CHEF para isolar e configurar de forma rápida os projetos da Globosat e da Dextra.

Are we really being Agile? – Agile Patterns and Anti- Patterns (Angra C)

CHENG, Richard – Excella Consulting

When teams implement their practices and create their processes, are they really being “Agile”?

Scrum off-TI: uso com sucesso em projetos de arquitetura (Sala Digitho Brasil)

LOPES, Sonia

Nesta palestra será apresentado o caso de sucesso da aplicação de Scrum em Projetos de Arquitetura. O arquiteto com seus surtos criativos e paixão pelo trabalho, sempre teve dificuldade com o gerenciamento, seja de sua empresa ou do próprio projeto. O Gerenciamento Tradicional de Projetos [waterfall] com toda a densidade de ferramentas e documentos a serem produzidos geram a impressão de que vai se gastar mais tempo com o gerenciamento que com o desenvolvimento do produto. Além disso, as mudanças que surgem ao longo do projeto tendem a desestabilizar o processo.

Ao perceber a existência do Scrum comecei a achar que poderia ser utilizado em projetos de arquitetura. A partir daí a busca por mais conhecimento e os testes em casos reais começaram.

 

 

Início: 16:00

Integração contínua. Quem quer, faz! (Angra A)

ALVES, Isaias

Para profissionais que enfrentam dificuldades para implantar integração contínua, seja devido a burocracia de corporações ou ritmo acelerado de agências. Marchando “20 milhas” de cada vez é possível.

Demystifying standards and reference models with Agile concepts and Gamification (Angra B)

IRIGOYEN, Analia – ProMove SOluções

Since the publication of “CMMI or Agile: Why Not Embrace Both!”, by David Anderson in 2008, there have been a lot of discussions between these two software engineering worlds.
These discussions have been so important that during the last years, both CMMI and Agile worlds have increased their knowledge and experiences, contributing significantly not only to the whole software development lifecycle but also in many other management areas. As an example, some other organizational aspects are also explored in Management 3.0 framework like: managing people, creating teams, how to manage capacity and availability of an organization and so on.

Como conseguimos aumentar a produtividade da equipe de desenvolvimento em 30% utilizando a metodologia Kanban (Angra C)

NOGUEIRA, Camille

Como conseguimos aumentar a produtividade da equipe de desenvolvimento em 30% utilizando a metodologia Kanban.

Workshop Core Agile: definição Ágil de produtos de software orientada a problemas (Sala Digito Brasil)

SABBAGH, Rafael – Knowledge21

Workshop para definição ágil de produtos de software. Projetos e produtos reais desenvolvidos com metodologias tradicionais serão trazidos pelos participantes para serem utilizados em uma simulação de definição ágil de produto com foco no problema e, utilizando a simplicidade, buscando a maximização da entrega de valor no menor tempo possível.

 

 

Início: 17:00

Agilidade no Governo: uma missão possível (Angra A)

MOREIRA GOLDZWEIG, Sonia Maria; FERREIRA GOMES, Avelino – TRE-RJ

Usar Métodos Ágeis em Órgãos do Governo não é uma missão impossível. Nós conseguimos! E queremos compartilhar algumas lições aprendidas ao longo da nossa trajetória, nos últimos cinco anos.

Banco de dados e agilidade em grandes empresas (Angra B)

CRISANTO, Israel; SUYAMA, Vinicius – MAPS Soluções e Serviços

Como você considera o banco de dados no seu processo? Este é um aspecto tão importante que não pode ser deixado em segundo plano, principalmente quando estamos no mundo corporativo e lidamos com grandes instituições cujas bases possuem dezenas de milhões de entradas. Descubra quais os desafios encontramos ao adicionar o banco de dados no conceito de pronto das equipes e como conseguimos testá-lo diariamente.

Controle de versão ágil com One Piece Flow e Git Flows (Angra C)

ARAUJO, Ayrton – FPF tech


Um case de melhores práticas para controle de versão distribuído que suportam métodos ágeis como o Scrum e o Kanban.

 

 

Sexta-feira 14/08

Início: 09:00

Keynote: Jogando para ganhar!

SALES, Marcelo – 21212

Descreverei a nossa trajetória empreendedora no Brasil e explicarei de forma lógica e simples como funciona o mundo das startups e seu ecossistema, fundos, grandes empresas , cases de exit, as regras do jogo e o que se deve fazer para aumentar suas chances de sucesso.

 

Início: 09:50

Direto ao ponto com Scrum; entregando produtos enxutos (Angra A)

CAROLI, Paulo – ThoughtWorks

Venha participar dessa conversa sobre a combinação efetiva de Lean MVP (Minimum Viable Product) com Scrum. Desde 2010 venho aplicando a técnica Direto Ao Ponto para começar projetos ágeis e planejar as entregas baseadas em MVP. Nesta apresentação vou compartilhar como tenho combinado o framework Scrum com o estilo de entregas enxutas e evolução do produto propostos pelo modelo Lean MVP.

Como estruturar sua startup (Angra B)

HERRERA, Felippe

O objetivo é dar um panorama rápido sobre os aspectos jurídicos das startups e como estruturá-las de forma a proteger seu produto/serviço e facilitar a obtenção de investimentos de capital empreendedor.

Scrum Game: Uma ferramenta para ensinar agilidade de forma divertida (Angra C)

ADATIVA, Alice; CARNEIRO, Igor

Nem sempre ensinar agilidade é uma tarefa fácil, há obstáculos no caminho, e vencê-los é o que faz dessa trajetória algo emocionante a fim de poder passar o seu entendimento através de algo divertido e simples. É através de um jogo didático que pretendemos fazer disso um objetivo alcançável, pois o mesmo envolve as pessoas oferecendo-as desafios reais para que possam ser solucionados através conceitos do Scrum. E assim, passar ou até mesmo fortalecer os princípios do manifesto ágil de forma prática e divertida.

It’s all about apps: a gestão ágil de aplicativos mobile (Sala Digito Brasil)

BISSO NUNES, Ana Cecília

Diferentes versões em produção, guidelines, ranking, métricas, lojas, review, pushes e um universo inteiro de devices! O mundo hoje é dos apps. Mas quais as particularidades da gestão destes produtos?

 

 

Início: 10:40

Testes automatizados com alto valor de negócio e baixo custo de manutenção (Angra A)

DIAS DA SILVA, Taise

Como criar testes automatizados com alto valor de negócio e baixo custo de manutenção de código para construir software com qualidade?

Não é novidade que uma das práticas para um time construir software com qualidade é a adoção de testes no processo de desenvolvimento. Entretanto, é muito importante que os testes sejam efetivos para garantir a qualidade das funcionalidades já implementadas e das novas funcionalidades.

Esta palestra tem como objetivo compartilhar que existem padrões e ferramentas que, quando combinados, podem oferecer testes automatizados com alto valor de negócio e de baixa manutenção seguindo três passos: definir o valor do negócio, automatizar testes e refatorar para baixa manutenção.

Como testar uma ideia e construir um produto em 24 horas (Angra B)

TAVARES, Romulo; MARTINS, Rafael; INSAURRIAGA, Eduardo – Globo.com

Você não precisa levar meses para testar uma ideia, 24 horas pode ser o tempo suficiente para que você consiga tornar sua ideia palpável e vende-la, para isso você só precisa das ferramentas e processos certos que podem te ajudar a alcançar esse resultado. Nesta palestra vamos contar nossa experiência em criar produtos em 24 horas e os processos que utilizamos para isso.

De cabeça para baixo: uma visão bottom up do início de transição ágil em uma grande empresa pública (Angra C)

ANDO, Rafael; BENEDICTO NUNES, Leonardo; ROMANO RODRIGUES, Alex – SERPRO – Serviço Federal de Processamento de Dados

Como um departamento de desenvolvimento de software de uma grande empresa pública de tecnologia da informação está começando a sua transição para usar métodos ágeis.

ScrumMaster 3.0, tudo que você deveria saber mas não deu tempo de aprender em 2 dias (Sala Digitho Brasil)

DE TOLEDO, Rodrigo – Knowledge21

A cada ano cresce o uso de métodos ágeis no desenvolvimento de software. Em relatório recente da VersionOne, mais de 50% dos projetos no mundo usam métodos ágeis. A maior parte do conhecimento recai sobre o ScrumMaster (44% das vezes é ele quem mais sabe sobre agilidade, segundo o mesmo relatório).

O conhecimento e a atuação do ScrumMaster também tem que evoluir. ScrumMaster 3.0 é aquele que carrega a bandeira da agilidade e traz as novidades para a empresa. Ele atua não apenas no seu time, mas na organização como um todo.
Nesta palestra listamos os conhecimentos esperados do SM3.0, trazendo um exemplo prático para cada item.

 

 

Início: 11:40

Do Caos ao Kanban. Como criar produto com entrega contínua começando do zero (Angra A)

DINIZ, Thiago

Relato de caso da aplicação de Scrum em uma startup early stage, e os problemas que surgiram na época. Mais tarde, falaremos também como foi importante adotar conceitos de Kanban e os impactos gerados.

De onde vem os bons POs? (Angra B)

PABON, Leonardo – Concrete Solutions

Um dos principais problemas de empresa que estão aderindo a metodologias ágeis é aonde encontrar boas pessoas para os papéis de um time ágil. Nessa palestra vou forcar em dividir a experiência da CS em qual é o perfil de um bom Product Owner. Vamos abordar os diversos backgrounds de onde podem surgir bons product owners (conhecimento do domínio, UX, marketing/vendas, engenharia), assim como um assessment de técnicas e práticas necessárias para formar um Product Owner (conhecimento teórico e prático de ágil, facilitação e gestão de stakeholders, e outras práticas necessárias para um PO). O objetivo é apresentar um modelo simples para o mapeamento de habilidades necessárias para ajudar a sua empresa a encontrá-los. Vamos abordar também processos seletivos para encontrá-los, assim como processos de desenvolvimento (material de leitura, treinamentos, 1:1, etc.) para ajudar no desenvolvimento de cada um deles. Por último, vamos abordar nuances especificas de mercados e tempos específicos de projetos e produtos em que um PO pode ou não ser mais efetivo do que outro PO de um perfil diferente.

A transformação agile do Hotel Urbano – os últimos 12 meses (Angra C)

SGRECCIA, Joao Marcelo – Rivendel; RAPELLO, Demetrius – HotelUrbano

Explicar o passo a passo da transformação agile do hotel urbano, uma empresa com 4 anos de vida mas que não possuía um processo de desenvolvimento que validasse as hipóteses e que atingisse o time-to-market.

 

 

Início: 14:00

DevOps: o uso do controle de versão para todos artefatos de produção como prática de Continuous Delivery (Angra A)

SETE, Marcio

A capacidade de colocar software em produção frequentemente, de maneira rápida, confiável e com baixo risco, depende do uso abrangente de um controle de versão. É importante que nele haja tudo que é necessário para recriar um ambiente produtivo: código, banco de dados e configurações de ambiente.

Quando um erro é identificado, você deve ser capaz de reimplantar rapidamente a última versão estável da sua aplicação ou corrigir rapidamente o problema e fazer uma nova publicação, reduzindo o tempo médio de reparo.
Esta prática é indicada pelo relatório “2014 State of DevOps” como uma das 5 práticas funda- mentais para a construção de uma TI de Alta Performance.

Kanban: Agilidade para ambientes conservadores (Angra B)

YOSHIMA, Rodrigo

Nesta sessão, Rodrigo Yoshima, especialista em Lean e Agile apresentará como obter os benefícios dos métodos ágeis em ambientes hostis à agilidade.

Ideias sobre como escalar ágil (Angra C)

DE LA RIVA, Fernando – Concrete Solutions

É natural as empresas que implantam ágil trabalharem em esquema de startup, até pela cultura compartilhada e a necessidade de iteração rápida. Entretanto, sempre chega o momento em que é preciso crescer e surge o desafio de como escalar uma estrutura ágil de desenvolvimento de software que consiga abranger mais de 50 times, seja auto-organizada e tenha poucos níveis hierárquicos, sem interferir na qualidade e na cultura de desenvolvimento. Nesta palestra, vamos abordar um caso prático de como a Concrete Solutions está resolvendo esse problema.

Workshop 101: Concebendo produtos de forma ágil (e divertida)
 (Sala Digitho Brasil)

CORREA, Diana – Walmart.com

O objetivo desta conversa é trazer as principais práticas de workshop de mercado para que você – analista de negócios, PO, gerente de produto, ou empreendedor – possa conceber o seu produto se maneira ágil e colaborativa.

 

 

Início: 15:00

Testando na nuvem a UI e o JavaScript de sua aplicação (Angra A)

TEIXEIRA, Stefan – Rastreabilidade Brasil

Com o aumento do número de diferentes dispositivos, versões de browsers e de sistemas opera- cionais, testar aplicações web de forma a garantir compatibilidade entre diversos ambientes se torna, cada vez mais, um desafio. Nesta sessão, vamos mostrar como testar a UI e o JavaScript de sua aplicação através de serviços na nuvem, como o SauceLabs e o BrowserStack. Vamos comparar os serviços e mostrar exemplos de testes de UI com Selenium WebDriver e de JavaScript com Karma, rodando em múltiplos ambientes.

How coaching had helped to change my company (Angra B)

LEÃO, Avelar – Instituto Atlântico

In this session I’m gonna tell how a group of 5 non trained coaches helped 5 important initiatives come out of the paper.

Agile UX: pensando a User Experience no mundo ágil (Angra C)

SEFFAIR RIKER, Diogo; AMORIM, Alexandre – FPF Tech

Com a difusão da cultura ágil, o trabalho em equipe tem-se feito cada vez mais necessário para o sucesso de um projeto, sendo preciso que o time esteja alinhado em diversos aspectos e que as diferentes áreas comuniquem-se entre si de forma abrangente e fácil, deixando o time muito mais colaborativo e multidisciplinar. Baseado nesse pensamento, um método que tem ganhado destaque é o Agile UX que, utilizando os princípios do design thinking e do lean ux, tem como objetivo inserir mais o usuário-final nos processos ágeis, e também, toda a equipe para trabalharem colaborativamente nas etapas de imersão e ideação.

Nessa palestra, irei expor um pouco mais sobre o que é o Agile UX e como tenho conseguido aplica-lo.

 

 

Início: 16:00

Complexity is dead: at least for the end user (Angra A)

BRIONES GRACIANO, Érica

Consumidores assumem o controle das relações com as empresas, usuários assumem o controle das relações com TI. O mundo mudou, será que você ainda é relevante dentro da nova realidade?

Se tornando o livro de receitas do seu cliente: uma experiência de validação com MVP Concierge
(Angra B)

AYRES, Hugo – Visagio, OROSCO, Rafael – Marte

Conheça a experiência de um MVP Concierge, onde simulamos uma busca e pesquisamos nós mesmos para nossos clientes, sem eles saberem, receitas com os ingredientes passados para validar uma ideia.

Contratando Métodos Ágeis: que tipo de contrato usar? (Angra C)

RODRIGUES, Rafael – ProMove Soluções

As Metodologias Ágeis já são uma realidade, adotadas por grande partes das empresas e colecionando inúmeros cases de sucesso. Entretanto, quando olhamos para os contratos que as empresas têm usado, vemos que eles ainda não foram adequados à nova forma de trabalho introduzida pelas práticas ágeis. Além disso, essa falta de sinergia entre os contratos e os modelos de desenvolvi- mento é um dos fatores que pode impactar no sucesso do projeto. Tanto o contratante quanto o contratado tem desvantagens consequentes dessa falta de alinhamento entre a metodologia de desenvolvimento utilizada e as cláusulas do contrato assinado. Nessa sessão, temos o objetivo de mostrar métodos de contratação tradicionais e ágeis que vem sendo utilizados no mercado de TI atual, compará-los com relação à critérios que consideramos fundamentais para os contratos, e levantar a discussão sobre quais contratos são recomendáveis e oferecem vantagens tanto para o lado do contratante quanto para o lado do contratado.

 

Início: 17:00

Arquétipos de stakeholders – Identificando, lidando e cooperando com stakeholders em projetos complexos (Angra A)

LIMA, Victor – Concrete Solutions

Uma vez compreendidos e implementados os conceitos de uma gestão de produto digital usando metodologias ágeis, os desafios começam a acontecer em outras frentes, principalmente em corporações grandes e complexas, que muitas vezes são avessas à instituição de práticas ágeis. O gerenciamento da comunicação com stakeholders de um produto é fundamental para o sucesso de uma iniciativa, tanto para dentro quanto para fora da empresa. O objetivo dessa palestra é mostrar diversos padrões de comportamento que stakeholders costumam assumir em projetos, baseados em experiências práticas e projetos reais, e apresentar técnicas efetivas para lidar com eles nas diferentes situações e atingir um ponto de cooperação que seja bom para o usuário e para o produto.

Testes de aceitação automatizados com robotium utilizando a técnica de BDD (Angra B)

CHIAVEGATTO, Rafael – FPF Tech

Automatize seus testes de aceitação em dispositivos Android com o framework robotium e ganhe manutenibilidade nos scripts gerados utilizando o cucumber-jvm. Uma case de sucesso.

Cerimônias sem cerimônia: dicas de como deixar o planning, a review, a retrospectiva e a daily mais produtivas (Angra C)

OTTO, Cristina Silveira; BASTOS, Joyce

Depois de questionar vários agilistas sobre o tema, e aplicar as ideias ao dia-a-dia na nossa empresa, queremos compartilhar o que aprendemos, as técnicas que aplicamos e o resultado nos nossos times em como deixar as cerimônias do Scrum mais objetivas.

 

 

Sábado 15/08

Início: 09:00

Keynote: The Lean Startup and Agile Development: full circle

FORTE, Stephen – Fresco Capital

In the beginning there was Agile, which influenced the Lean Startup movement. Now today the concept of the Lean Startup is no longer just for startups, but rather represents a new way of doing business at large companies, small companies, government agencies, the enterprise, and even at non-profits. Lean has come full circle and is starting to influence Agile to be more–well, Agile. It is not impossible to do a “lean startup” with being Agile and pretty soon it will be impossible to be agile without doing the lean startup methodologies. They are truly a match made in heaven.

 

No comments yet.

Leave a Reply